O Programa de Educação e Formação do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), no seguimento daquelas que são a missão e as funções do Gabinete no qual é desenvolvido, assume cinco objectivos fundamentais.

1. ORIENTAR OS JOGADORES JOVENS, NO ACTIVO, NO DESEMPREGO E RETIRADOS PARA A REALIZAÇÃO DE FORMAÇÃO QUALIFICADA/CERTIFICADA QUE PERMITA DESENVOLVER UMA CARREIRA DENTRO OU FORA DO FUTEBOL, GARANTIR OFERTA FORMATIVA PRÓPRIA OU EXTERNA E ESTABELECER INCENTIVOS PARA A SUA PARTICIPAÇÃO.

No alinhamento das recomendações efectuadas pelas instituições tutelares e reguladoras europeias e nacionais, o SJPF considera que o caminho privilegiado para a segurança laboral dos profissionais que abrange no seu seio passa por fomentar e desencadear um intenso processo formativo que promova a qualificação dos jogadores, estimulando assim a aquisição de ferramentas que permitam fazer frente à iminente transição profissional. Neste sentido, é objectivo do SJPF encaminhar os jogadores para a realização de formação qualificada, realizar oferta própria certificada e dinamizar incentivos que suportem a participação do jogador nas formações do seu interesse.

2. OFERECER AO JOGADOR EM PROCESSO DE TRANSIÇÃO LABORAL SOLUÇÕES DE “DUAL CAREER” QUE PERMITAM A SUA INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO.

O SJPF propõe-se orientar o jogador profissional de futebol nas suas tomadas de decisão e na gestão da sua carreira profissional, conferindo-lhe o necessário suporte técnico, formativo e jurídico que permita considerar as possibilidades mais adequadas ao prosseguimento da sua carreira profissional. Neste sentido, é intenção seguir e aplicar as recomendações técnicas e políticas recentemente promovidas pela União Europeia para a estimulação e robustecimento de “carreiras duplas”(“dual careers”) dos jovens atletas e dos atletas de alto rendimento. Procura-se assim formular e adoptar acções orientadas para a apresentação de soluções válidas e eficazes para os jogadores profissionais de futebol. Paralelamente, pretendem-se desenvolver as necessárias parcerias com diferentes instituições desportivas ou de outras áreas laborais, tendo em vista a realização de estágios e/ou a celebração de contratos de trabalho.

3. AFIRMAR O FUTEBOL COMO “CLUSTER” E FACTOR DE MODERNIZAÇÃO EM ARTICULAÇÃO COM AS UNIVERSIDADES E EMPRESAS E CRIAR UM ESPAÇO DE ANÁLISE E REFLEXÃO NA ÓPTICA DO JOGADOR.

O desporto em geral e o futebol em particular são, actualmente, produtos com considerável impacto económico, seja no Produto Interno Bruto dos diferentes países, seja nos empregos que promovem nos mais diversos sectores da economia. O universo de agentes que gravita em torno do futebol, aliado à quantidade de praticantes desta modalidade, nos mais diferentes regimes de prática (formal ou informal), fazem dela uma marca única no panorama mundial, a qual é seguida e adoptada como preferencial por milhões e milhões de indivíduos das mais diferentes culturas e pontos do globo. Esta evidência torna o futebol como um campo de enorme potencial para a inovação e empreendedorismo e o jogador, como principal actor, como um elemento fundamental desta cadeia. Por esse motivo, é intenção do SJPF desenvolver os mecanismos necessários para que se desenvolva uma actividade empresarial vinculada ao exercício de futebolista, ao mesmo tempo que se propõe a estudar o seu contexto e consequentemente a produzir conhecimento que, de forma pragmática, ajude a compreender e a potenciar as diferentes valências do seu universo.

4. COLOCAR O DESPORTO AO SERVIÇO DA COMUNIDADE E REFORÇAR O PAPEL DO JOGADOR ENQUANTO MODELO SOCIAL JUNTO DOS MAIS JOVENS.

O futebol e o futebolista assumem, na sociedade portuguesa, um carácter modelar. Por esse facto, e assumindo o capital social associado a essa responsabilidade, o SJPF propõe-se a desenvolver e aprofundar iniciativas que estimulem e orientem os jogadores e a sociedade para a adopção e difusão de um comportamento desportivamente exemplar. Concomitantemente, é intenção do Programa de Educação e Formação promover a assunção e dinamização do papel social que o desporto em geral e o futebol em particular pode desempenhar junto de diferentes comunidades e circunstâncias onde o indivíduo se encontre humanamente desprotegido. A intervenção nesta área revela-se crucial, na medida em que se pretende que o desenvolvimento de acções com estas características no âmbito do futebol, dado o seu mediatismo, seja também motor de reconhecimento e consciência do desporto como importante ferramenta de educação social nos mais diferentes contextos.

5. PROMOVER O MODELO DE FORMAÇÃO DO SJPF NO EXTERIOR, NOMEADAMENTE NO COMITÉ DE EDUCAÇÃO DA FIFPRO E NOS PAÍSES DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA, REFORÇAR AS PARCERIAS INSTITUCIONAIS INTERNACIONAIS E AFIRMAR O VALOR DO JOGADOR E DO DESPORTO NACIONAL NO MUNDO.

Enquanto membro activo da FIFPro, o SJPF pretende expandir o modelo de formação em desenvolvimento a outros parceiros deste organismo. Simultaneamente, e no seguimento da relação próxima do ponto de vista cultural e institucional com as entidades congéneres sediadas nos Estados pertencentes à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e no espaço ibero-americano, pretende-se influenciar o desenvolvimento destas organizações relativamente ao enquadramento formativo do jogador de futebol nos seus países. Ao estabelecer um Programa de Educação e Formação tão ambicioso, é ainda objectivo do SJPF afirmar a sua posição no seio de outros organismos internacionais que operam no âmbito do sistema desportivo e educativo, dignificando assim o desporto nacional e o país junto dos seus parceiros institucionais.