“Ter o 12.º não é importante, é fundamental”

“Ter o 12.º não é importante, é fundamental”

2017-07-31

Luís Loureiro foi o primeiro ex-jogador a completar o ensino secundário com o apoio do Sindicato.

O ex-jogador Luís Loureiro foi o primeiro aluno a completar o 12.º ano através do programa RVCC – Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, com o apoio do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF).

Luís Loureiro iniciou o curso com o 8.º ano completo e conseguiu terminar o ensino secundário em três meses intensivos. Relativamente ao papel do Sindicato durante todo este processo, o ex-jogador elogiou o trabalho da instituição que foi “fundamental para concluir o ensino secundário”. “Quando iniciei este processo estava muito motivado para o concluir, porque a nível profissional era algo fundamental”, rematou.

O programa RVCC permitiu-lhe completar todas as etapas até à defesa da sua tese final e o ex-médio de 40 anos explicou como o programa consiste num “processo de oportunidade, não só para jogadores e ex-jogadores, mas a nível geral. É fantástico”. Completados todos os passos necessários e tendo em conta toda a experiência que acumulou nos últimos anos, Luís acabou por escolher o tema “Formação e Futebol”, pois considerou ser um tema “em que estava completamente à vontade, o que fez com o conseguisse defender a tese com sucesso.”

O ex-internacional português acrescentou ainda, em jeito de mensagem para os restantes jogadores que estão a terminar o ensino secundário com o apoio do SJPF, que “ter o 12.º ano não é importante, é fundamental nos tempos que correm. O mercado de trabalho já não está fácil. Se não tivermos o 12.º ano mais difícil se torna”. Luís Loureiro defendeu ainda a importância de “não perder esta oportunidade. A carreira de futebolista é curtíssima e não se deve perder tempo. Tempo é vida. E esta é uma oportunidade única!”.

Relativamente aos planos que tem reservado para o futuro, Luís Loureiro falou da sua atual função como treinador principal do Lusitanos Saint-Maur, uma equipa dos escalões inferiores de França, que tem no seu plantel alguns jogadores portugueses, entre os quais Valter Viegas e João Fonseca. Enquanto treinador da equipa francesa, o ex-internacional frisou a importância de querer levar a cabo “um bom trabalho, para que possamos ficar nos lugares cimeiros e subir de divisão, que é o principal objetivo. Se não for agora, daqui a dois anos, mas se conseguir ser num ano, melhor!”

O ex-médio não poupou elogios ao Sindicato, reforçando o “trabalho excecional que tem feito a todos os níveis”, acabando por agradecer “pela oportunidade que me proporcionou, porque foi através do Sindicato que concluí o ensino secundário. Queria agradecer e felicitar por todo o trabalho que têm desenvolvido nas diferentes áreas, sempre com grande sucesso. Muitos parabéns!”.

Para além de Luís Loureiro, também o treinador Vítor Silva e o diretor desportivo do Mafra, Joaquim Duarte, completaram o 12.º ano com o apoio do Sindicato.