Pedro Empis

Pedro Empis

Estudante de Gestão de Empresas

Sempre coloquei os estudos à frente do futebol

Pedro Empis joga no Sporting B e frequenta o curso de Gestão na Universidade Nova de Lisboa.

No segundo ano da licenciatura em Gestão, Pedro Empis aconselha os colegas de profissão a não descurarem os estudos, pois o futebol “é um desporto que vive do momento.”

Onde fez a sua formação escolar?
Iniciei o meu percurso académico no Colégio dos Salesianos do Estoril e estive lá até ao 11.º ano. Quando assinei pelo Sporting, com os treinos de manhã, tive de mudar de escola e fiz o 12.º ano na Escola Secundária de Alcochete. Agora estou no primeiro ano da licenciatura em Gestão na Universidade Nova de Lisboa.

A família e os clubes por onde tem passado têm-no apoiado relativamente aos estudos?
Sim, claro. Aliás, sempre coloquei os estudos à frente do futebol. Os meus pais e os clubes sempre me incentivaram muito para que estudasse e sempre me disseram que o futebol é um desporto que vive do momento e que hoje podemos estar bem e no futuro podemos não ter clube. Se não tivermos uma formação superior, corremos o risco de ficar desempregados.

Existem mais jogadores da formação do Sporting que também conciliam o futebol com os estudos?
Sim. O Guilherme Ramos, o Pedro Silva e o Edu Pinheiro.

De que forma é que a Universidade o tem apoiado para conciliar o futebol com os estudos?
A Universidade tem-me apoiado bastante. Estou muito grato a todas as pessoas da faculdade que me têm ajudado. Um bom exemplo disso é que no ano passado estive no Europeu de sub-19 e acabei por ir à primeira fase dos exames, graças ao apoio da professora Ana Balcão Reis.

Acha que faltam medidas que apoiem a conciliação dos estudos com a profissão de jogador?
Com força de vontade, penso que todos conseguimos conciliar. Se formos crescendo a pensar que é possível, acabamos por fazê-lo. O problema é que a maior parte dos jogadores cresce a pensar que o futebol é a única coisa que existe na vida e não têm a consciência que os estudos são importantes.

Como é que faz para conciliar os horários?
Tenho treinos de manhã todos os dias e à tarde vou estudar para a faculdade. Quando os horários dos treinos são incompatíveis com as aulas, consigo pedir apontamentos aos meus colegas para ir acompanhando a matéria e estar pronto para o exame final.

O curso que está a tirar sempre foi uma ambição?
Sim, sempre. Tenho como objetivo estudar e jogar futebol em simultâneo e tenho a certeza de que essa ambição vai continuar, mesmo que consiga chegar à equipa A do Sporting. Quero aprender sempre mais e é nessa motivação que vou continuar.

Porquê o curso de Gestão de empresas?
Fiz o secundário na área da economia e, nesse seguimento, optei por Gestão de empresas.

O SJPF criou um Programa de Educação para que os jogadores possam frequentar determinados cursos. O que acha da medida?
Acho muito bem. Certamente vai ajudar muitos jogadores e fico contente por saber que o Sindicato tem essa preocupação. Há jogadores que, como não singram nas carreiras, acabam por passar muitas dificuldades e ainda bem que o SJPF tem isso em mente.

Um jogador com formação académica pode ser melhor em campo e na forma como lida com os colegas?
Talvez. Acaba por sair um pouco da sua zona de conforto, tem uma maior diversidade naquilo que é o convívio com outras pessoas e penso que isso acaba por se refletir no mundo do futebol.

Apesar de ainda ser muito cedo, já pensou no que vai fazer quando terminar a carreira de jogador? Quer continuar ligado ao futebol, seguir a área que está a estudar ou conciliar as duas?
Sinceramente, ainda não pensei muito nisso. Agora estou mais focado no presente, no momento desportivo no Sporting e em completar o meu curso. Depois penso nisso mais tarde.

É visto pelos colegas como um exemplo a seguir?
Penso que não. A mentalidade de estudar não está incutida na maior parte dos jovens jogadores de futebol e, por isso, se calhar não olham para mim como um exemplo e um modelo a seguir, mas sim como uma pessoa que está a ‘perder tempo nas aulas’ e é essa mentalidade que faz toda a diferença e que tem de mudar.

Aconselha os colegas a não abandonar os estudos?
Claro. Acredito que, com o tempo, vamos conseguir mudar mentalidades e aconselho todos os jogadores de futebol a estudar.

Quais as suas maiores ambições enquanto jogador?
Gosto de estabelecer objetivos a curto prazo. Fazer o máximo de jogos pela equipa B do Sporting nesta época é o primeiro. Mas diria que a minha maior ambição é chegar à equipa principal.

Qual é a sua opinião sobre a atuação do SJPF?
Sinceramente, não tinha muita consciência do trabalho desenvolvido pelo Sindicato. Nos últimos tempos informei-me e percebi o que o SJPF tem feito. Parabéns ao Sindicato e a todos os que estão a desenvolver este Programa de Educação e Formação.

Perfil
Nome: Pedro Carvalhosa Empis
Data de nascimento: 1 de fevereiro de 1997
Posição: Defesa esquerdo
Clubes que representou: Estoril (formação), Sporting (formação) e Sporting B.